fbpx

Desenvolvimento HumanoDesenvolvimento Humano

O Patriarca Moy Yat me explicou sobre o significado “coração do bebê vermelho” é a consciência existente quando nascemos, mas que depois perdemos.

Quando o Patriarca Moy Yat explicou-me sobre o significado “coração original”, ele me apresentou a  Mencius, sábio chinês que viveu no século IV a.C.

O “coração original”, denominado em chinês bun sam , foi uma das suas principais inovações teóricas. Traduzida como “consciência originária” ou “consciência fundadora” pelo Professor François Jullien , bun sam é a raiz, a fonte escondida, à reação diante a uma experiência em que uma pessoa se sente comovida diante do que acontece com a outra. Essa reação espontânea transparece, assim, o seu enraizamento na humanidade como um todo.

Assim, é por intermédio do bum sam,  que temos sensibilizada nossa consciência e a tiramos da apatia, pois, ao sermos repentinamente tocado pelo outro, temos a oportunidade de enxergar o que está dentro de nós como algo indissociável do que está fora da gente. É o que Jullien chama de perspectiva transindividual, concepção chinesa não é nem individualista (o “eu” sujeito em perspectiva isolada), nem nega a individualidade (a particularização da vocação da natureza humana).

Em chinês, yan, que  expressa a consciência de humanidade, é representado por “ser humano (人) e o número dois” (二)” (dois seres humanos). Ora, com dois homens podemos constituir uma relação interpessoal (仁).

Por outro lado, o que caracteriza o ser humano é ele ser humano, ou seja, a humanidade é inerente a cada pessoa. Não é algo externo que se adquire. É algo a ser des-envolvido.

Por isso, que falamos de Desenvolvimento Humano. O fundamento da Inteligência Estratégica.